Pedagogia: Revisão de vida

Folha a folha iremos descobrir
Outro jeito de olhar.
Pé ante pé
Passo ante passo
Palmo a palmo.
Folha a folha
Ao nosso jeito depressa ou devagar.

A Revisão de Vida é a pedagogia de toda a dinâmica do Movimento, constituindo a base do trabalho de equipa. Praticar o método da Revisão de Vida – ver, julgar e agir – implica interrogar-se perante a complexidade dos acontecimentos, olhar a realidade de uma outra forma criativa e plural e comprometer-se com a sua transformação. Mais do que um método, a Revisão de Vida é uma atitude de abertura e diálogo, um modo de ser profundamente livre, à maneira de Jesus de Nazaré, que se aprende na relação com o Outro. Deve ser compreendida, experimentada e recriada por cada um, individualmente e nos diversos espaços comunitários em que vivemos e que o próprio Movimento nos proporciona.

VER

“O meu olhar é nítido como um girassol
Tenho o costume de andar pelas estradas
Olhando para a direita e para a esquerda
E de vez em quando para trás
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do mundo”


Alberto Caeiro, O Guardador de Rebanhos

Caracterizar a situação e as causas, que opinião têm as pessoas com quem contactamos sobre isto, e quais os diferentes níveis (político, económico, cultural, social e religioso) nela implicados, que repercussões e porquê. Mudar os olhos do nosso coração e construir uma visão mais ampla e objectiva da realidade.

JULGAR

Trata-se de descobrir e partilhar tanto aquilo que nos parece um contra-valor ( o que impede o crescimento das pessoas e do meio), como os sinais reveladores do homem novo, os valores que apontam para os critérios do Reino e as atitudes que convergem para o projecto de vida de Jesus Cristo. Pode perguntar-se quais os desafios que a palavra de Deus lança nesta situação. Importante é não confundir este com um juízo moral(ista). Deixa-se interpelar, descobrir e celebrar Deus presente nos acontecimentos.

AGIR

Neste momento a equipa deverá perceber o que há a realizar a nível individual do grupo e do meio, para ser fiel àquilo que descobriu.