Quaresma 2020 – Sacrifício

Caros Militantes!

Venho por este meio desejar-vos a boa continuação de um tempo de Quaresma, agora com este acréscimo de ser tempo quaresmal em quarentena. Contudo este tempo não deixa de ser um tempo favorável como é costume dizer-se nesta época e com os contornos da quarentena bem podemos perceber: Estamos forçados a nos focar no essencial da vida e a perguntarmo-nos por isso! Aproveitemos este tempo tirando do mal o bem! Vejamos a oportunidade que nos esta a ser dada para nos reconstruirmos e deixemos que Deus trabalhe em nós!

O tema lançado neste Domingo da Quaresma é o sacrifício. Gostava apenas de me socorrer de uma oração desta semana assim como de uma passagem que nos ajuda a reflectir sobre este vertente cristã que sobressai neste tempo de Quaresma.

“ Infundi, Senhor, a vossa graça em nossos corações, para que saibamos dominar os desejos terrenos e ser fiéis, com a vossa ajuda, aos mandamentos celestes. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.”

Em primeiro lugar gostava de dizer que não há sacrifício cristão sem a graça de Jesus Cristo, sem Ele tudo se torna uma filosofia, ideologia, condenada à frustração e ao fracasso. Pedimos que a sua graça penetre os nossos corações para dominar desejos terrenos. Falamos pois de renúncia, dizer não para poder dar sim a um bem maior. Por isso é que neste tempo se fala de jejum. É um instrumento que nos socorremos, não para sermos heróis mas para estarmos despertos a Deus que nos quer falar. A oração continua dizendo que dominamo-nos para ser fiéis aos mandamentos celestes. E aqui recupero o trecho evangélico desta sexta-feira da terceira semana da quaresma:

Naquele Tempo, aproximou-se de Jesus um escriba e perguntou-lhe: «Qual é o primeiro de todos os mandamentos?»  Jesus respondeu: «O primeiro é: Escuta, Israel: O Senhor nosso Deus é o único Senhor; amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com todas as tuas forças. O segundo é este: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior que estes.» O escriba disse-lhe: «Muito bem, Mestre, com razão disseste que Ele é o único e não existe outro além dele; e amá-lo com todo o coração, com todo o entendimento, com todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo vale mais do que todos os holocaustos e todos os sacrifícios.»
Vendo que ele respondera com sabedoria, Jesus disse: «Não estás longe do Reino de Deus.» E ninguém mais ousava interrogá-lo.

Falamos de uma passagem do Evangelho de Marcos (capítulo 12, 28-34), onde Jesus é abordado por um escriba, isto é, um estudioso da lei de Deus. Jesus chama-lhe a atenção para o “Shemá” que quer dizer escuta e que introduz uma profissão de fé que os judeus rezavam todos os dias. Para nós isto serve para reflectir a dimensão do sacrifício: Escuta! Dizemos em ambiente de Igreja que serve como um pré-mandamento. Pôr-se à Escuta é um sacrifício! Sem isto tudo o que fazemos torna-se um altruísmo. Podemos ser bons cheios de boa vontade mas não saímos de nós. E o sacrifício é um sair de nós para sermos fiéis aos mandamentos celeste para escutarmos a Voz do Pai Celeste.

Jesus acrescenta ao mandamento “amar o próximo como a si mesmo”, não como segundo mandamento mas como segunda oração de um só mandamento. Podemos ver este mandamento desenvolvido na nossa oração do Pai Nosso. A isto o escriba aprova e diz que vale mais que todos os holocaustos e sacrifícios, ou seja, vale mais que as ofertas rituais que se faz no templo. Neste tempo a Igreja propõe fortemente (pois nunca deixa de propor noutras alturas) a oração, o jejum e a esmola. Rezo para me por à escuta da vontade de Deus, jejuo para dominar impulsos egoístas, dou esmola para me abrir à necessidade do irmão. Seja este o nosso sacrifício: por nos à escuta de Deus e implorar o seu perdão para o amarmos com todas as forças e vivendo do amor do Pai sejamos cada vez mais irmãos. Amar não é dizer gosto de ti mas sim sacrifico-me por ti porque és valioso para Deus e para mim.

Continuação de uma Boa Quaresma em quarentena, seja vivida com muito amor que recria e comunica!

Abraço a todos

TEMA: Sacrifício

Pe. João Quintas

Partilha esta notícia com os teus amigos!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.