Encontro Nacional de Setores

No passado fim de semana, 16, 17 e 18 de março, 23 jovens reuniram-se com o propósito de analisar as influências de que somos constantemente "atacados", dando nome a cada uma delas. Um tema que parece tão esmiuçado mas que precisa de ainda mais tempo para ser falado e aprofundado, pois toca a cada um de nós. Após VER e JULGAR, partiram para o AGIR no centro de Aveiro.

  • Ora bem, por onde é que eu hei-de começar… Não tenho palavras para explicar de como eu fiquei tão feliz e de coração cheio. Percebi realmente que a minha vida faz muito mais sentido com Deus perto de mim.

    Este encontro fez-me refletir imenso de como sou influenciada no meu dia a dia por coisas ou pessoas que às vezes nem dou conta, e refletir sobre isto fez-me querer ter mais consciência por aquilo em que sou influenciada. Ajudou-me também a crescer como pessoa e a querer agir de uma forma positiva na sociedade, achei muito importante distribuir os cartões com perguntas para as pessoas refletirem, porque assim este encontro não foi apenas para nós mas também para os outros.

    Fico à espera do próximo encontro, que seja tão bom como este!!

    Isabel Ferreira, 18 anos

  • Não sou católico, mas sim cristão.
    Esta era a única razão que me deixava reticente em relação a participar no encontro do MCE.

    As minhas preocupações eram, no entanto, desnecessárias. Pois todos os membros do grupo são pessoas extremamente open minded, acolhedores e amorosos.

    O encontro fez-me VER que o mce é bem mais do que um grupo de pessoas que se juntam para estudar e interpretar escrituras. É acima de tudo valorizado o pensamento, o debate, o convivio e a união. Sem JULGAR ou ser julgado, acabamos por debater sobre todas as escolas de pensamento ao longo da historia, desde a epistemologia do séc xvii á estética do séc xx. E é precisamente para isto que eu vivo. Há momentos de reflexão e de diversão, mas falta mencionar o mais importante. Falta mencionar aquilo que torna este grupo tão especial: a vontade de AGIR.

    Obrigado por tudo malta, até uma próxima!

    Filipe Capitão, 18 anos

  • Partilha esta notícia com os teus amigos!

    1. H
      Helena S. C. Wemans diz:

      Fico muito satisfeita por saber que há um grupo de jovens no MCE . O movimento continua!!!!!! É uma ESPERANÇA.

    Leave a Comment

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *